Distúrbios do Sono

 Pneumo - saiba mais sobre...

 

Câncer de Pulmão

O que é o câncer de pulmão?

O câncer de pulmão (ou tumor maligno de pulmão) surge a partir de mutações em células do organismo que passam a se proliferar excessivamente rápido e fora de controle. Estas células cancerosas podem invadir e destruir os tecidos ao seu redor. As células cancerosas podem entrar na corrente sanguínea ou no sistema linfático, resultando na disseminação do tumor do local original (primário) para formar novos tumores em vários órgãos (metástases).

A maioria dos casos de câncer localizado no pulmão são originados no próprio pulmão. Em outros casos, porém, o câncer foi originado em outro órgão (p. ex, fígado, intestino, estômago, mama, próstata, etc) e atingiu o pulmão através da disseminação na corrente sanguínea ou linfática. Nestes casos recebe o nome de câncer de pulmão metastático.

Quais as causas do câncer de pulmão?

O tabagismo é responsável por 90% dos casos desse tumor. Mais homens que mulheres desenvolvem o câncer de pulmão, mas o número de casos em mulheres está aumentando, enquanto que o número de casos em homens está caindo. O risco de morte por câncer de pulmão é 22 vezes maior entre os fumantes do que entre os não fumantes.

Essa neoplasia pulmonar pode também ser causada por químicos - arsênico, asbesto, berílio, radônio, níquel, cromo, cádmio e cloreto de vinila, principalmente encontrados no ambiente ocupacional. Outros fatores relacionados a este tumor são os dietéticos (baixo consumo de frutas e verduras), radiação recebida, a doença pulmonar obstrutiva crônica (enfisema pulmonar e bronquite crônica) e a história familiar de câncer de pulmão ou outros tipos de câncer. Às vezes, essa doença se desenvolve em indivíduos que nunca fumaram e a causa é desconhecida.

Quais os tipos de câncer de pulmão?

Há dois tipos principais de câncer de pulmão, que exigem tratamentos diferentes:
  1. Câncer de pulmão de células pequenas (15% dos casos)
  2. Câncer de pulmão de não-células pequenas (85% dos casos). Inclui os subtipos:
    • Carcinoma epidermóide ou de células escamosas- entre 25% e 30% dos casos.
    • Adenocarcinoma - 40% dos casos.
    • Carcinoma de células grandes - 10 a 15% dos caso

Quais os sintomas mais comuns do câncer de pulmão?

  • Tosse que não desaparece e piora com o passar do tempo.
  • Dor no peito constante.
  • Tosse com escarro e laivos de sangue.
  • Chiado ou ronquidão
  • Falta de ar e fadiga.
  • Pneumonias de repetição.
  • Inchaço no pescoço ou na face.
  • Perda de peso e falta de apetite.

Estes sintomas são inespecíficos, ou seja, várias doenças puomonares podem causar os mesmos sintomas. O indivíduo que apresenta um ou mais dos sintomas deve procurar um médico especiaiista para conduzir-lo ao correto diagnóstico, sem necessidade de angústia ou ansiiedade.

Qual o tratamento empregado no câncer de pulmão?

A definição do tratamento do câncer de pulmão depende de uma série de fatores que incluem o tipo de câncer (Não pequenas células ou de pequenas células), o tamanho, o local e a extensão do tumor e sobre tudo, o estado geral do paciente. Podem-se usar vários tipos de tratamentos e/ou combinações de tratamentos, sempre com o objetivo de controlar a doença, diminuir os sintomas e melhorar a qualidade de vida do paciente. Os principais tratamentos utilizados são cirurgia, quimioterapia e radioterapia. Em muitos casos é indicado a combinação de mais de uma modalidade de tratamento.

Cirurgia

Consiste em operar o paciente para retirar o tumor. O tipo de cirurgia depende da localização da lesão tumoral no pulmão. A cirurgia pode ser de uma pequena parte do pulmão, chamada segmentectomia ou pode ser necessário retirar um volume maior que corresponde a um lobo pulmonar, nesse caso a cirurgia se denomina lobectomia. Quando se retira todo o pulmão, a cirurgia se chama de pneumectomia.

Alguns tumores podem ser inoperáveis por conta do tamanho ou do local onde estão alojados, em todo caso uma equipe de médicos que inclui o oncologista, pneumologista e cirurgião torácico avaliarão a melhor opção para cada caso.

Quimioterapia

A quimioterapia utiliza medicamentos anticancerígenos para destruir as células do câncer. É possível, ainda após o tratamento cirúrgico do câncer de pulmão, que células cancerígenas possam estar presentes no tecido próximo à lesão ou em outra região do corpo.

A quimioterapia pode ser usada para o controle do crescimento do tumor ou para aliviar os sintomas da doença. A maioria dos medicamentos utilizados na quimioterapia contra o câncer de pulmão é administrada por via intravenosa ou por meio de um cateter colocado em uma veia de maior calibre e que permanece no local pelo tempo que for necessário. A colocação do cateter (chamado de portocath) requer uma pequena cirurgia e deve ser avaliada e sugerida pelo médico.

A quimioterapia é sistêmica, o que quer dizer que não somente ataca as células cancerígenas como também as células sadias do corpo. Ou seja, pode freqüentemente apresentar efeitos colaterais e os mesmos estão relacionados ao tipo de medicamento quimioterápico e a dose administrada. Os efeitos colaterais podem ser muito leves ou mais sérios e neste caso, podem necessitar de atendimento médico, ajuste da dose ou suspensão do tratamento.

Radioterapia

A radioterapia consiste no uso de raios de alta energia para destruir as células cancerígenas. A radioterapia está dirigida a uma área limitada e afeta as células cancerígenas. A radioterapia pode ser usada antes da cirurgia para diminuir o tamanho do tumor ou após a cirurgia para destruir qualquer célula que eventualmente tenha ficado na área já operada. A radioterapia é freqüentemente combinada a quimioterapia como tratamento primário em lugar da cirurgia. Pode também ser utilizada para aliviar sintomas como a falta de ar. Como qualquer outro tratamento contra o câncer pode ter efeitos colaterais ao atingir não somente as células cancerígenas mas também as sadias. Um exemplo disso é a pneumonite actínica. A radiação também pode ser utilizada por meio de um implante colocado diretamente em contato com o tumor ou muito próximo dele: este procedimento é conhecido como braquiterapia.

Estou com câncer de pulmão... e agora?

É importante que o paciente com câncer de pulmão saiba que pode sim ter qualidade de vida, apesar da doença e dos tratamentos. Observe algumas orientações:

  • Realize os exames de seguimento e acompanhamento rotineiro com seu médico.
  • Siga uma dieta regular com uma boa alimentação sob supervisão de seu médico e nutricionista.
  • Dentro do possível, tente realizar exercícios físicos, sempre orientados por profissionais treinados.
  • Parar de fumar pode ajudar o seu organismo a combater o cancer. Por isso ainda é tempo de parar de fumar.

Viver com uma doença como o câncer de pulmão é um desafio. Além de enfrentar a própria doença, o paciente enfrenta uma série de preocupações, sentimentos e expectativas que podem tornar a sua vida ainda mais difícil. O paciente com câncer de pulmão, assim como qualquer outro paciente com câncer, pode precisar de ajuda tanto nos aspectos emocionais quanto práticos de sua doença.

De fato a carga emocional e psicológica de ter câncer de pulmão, em alguns casos, pode levar a problemas adicionais como a depressão. Entretanto, a rede de apoio multiprofissional de atendimento (médico, enfermeira, psicólogo), os grupos de apoio e a troca de experiências entre os pacientes podem ajudá-lo a se sentir melhor e com mais qualidade de vida.

Converse, expresse o que pensa, coloque em prática seu diálogo, procure ajuda, demonstre seus sentimentos. O profissional treinado para orientar e ajudá-lo é o Psico- Oncologista. Lembre-se: você não precisa passar por tudo isso sozinho. Procure ajuda.


R. Peixoto Gomide, 515, Conj 74 - Jardim Paulista, São Paulo-SP. CEP: 01409-001.
Tel: (11) 2507-5896 / 3774-5896 | Copyright © 2010 www.pneumo.com.br
Design by Dr Marcelo Andrade | Supported by www.uolhost.com .br
Estrutura Pacote Web 1.0 - Customizado